Tomografia de Coerência Óptica (OCT)

Exame que utiliza um feixe de luz para obter imagens em cortes da retina e do disco óptico. Através do OCT retiniano é possível medir a espessura da retina, analisar sua estrutura e detectar alterações em suas camadas específicas. A medida da camada de fibras nervosas fornece importantes informações para o diagnóstico e o acompanhamento do glaucoma.

No OCT do disco óptico é possível avaliar seu tamanho, diâmetro e profundidade da escavação. Além disso, os resultados são comparados a um banco de dados e fornecem uma classificação em relação ao que é considerado normal para a faixa etária do paciente.

Com o OCT é possível comparar o exame atual aos exames realizados anteriormente e detectar pequenas alterações, o que é muito valioso no acompanhamento de pacientes com glaucoma.

Doenças comumente avaliadas pelo exame:

Glaucoma

Degeneração macular relacionada à idade

Retinopatia diabética

Edema macular

Coroidopatia serosa central

Oclusões vasculares

Descolamento de retina

Membrana epirretiniana

Buraco macular

Tração vítreo-retiniana

Como se preparar para o exame?

Não é necessário preparo especial para o exame. Pode ser necessário dilatar a pupila, então recomenda-se levar um acompanhante.

Como é o exame?

O paciente é posicionado no aparelho e fixa a visão em um ponto central. O exame é rápido e indolor. Não é necessário contraste.

Exame que utiliza um feixe de luz para obter imagens em cortes da retina e do disco óptico. Através do OCT retiniano é possível medir a espessura da retina, analisar sua estrutura e detectar alterações em suas camadas específicas. A medida da camada de fibras nervosas fornece importantes informações para o diagnóstico e o acompanhamento do glaucoma.

No OCT do disco óptico é possível avaliar seu tamanho, diâmetro e profundidade da escavação. Além disso, os resultados são comparados a um banco de dados e fornecem uma classificação em relação ao que é considerado normal para a faixa etária do paciente.

Com o OCT é possível comparar o exame atual aos exames realizados anteriormente e detectar pequenas alterações, o que é muito valioso no acompanhamento de pacientes com glaucoma.

 

Doenças comumente avaliadas pelo exame:

Glaucoma

Degeneração macular relacionada à idade

Retinopatia diabética

Edema macular

Coroidopatia serosa central

Oclusões vasculares

Descolamento de retina

Membrana epirretiniana

Buraco macular

Tração vítreo-retiniana

 

Como se preparar para o exame?

Não é necessário preparo especial para o exame. Pode ser necessário dilatar a pupila, então recomenda-se levar um acompanhante.

Como é o exame?

O paciente é posicionado no aparelho e fixa a visão em um ponto central. O exame é rápido e indolor. Não é necessário contraste.